Procurar

Até os Comemos Carago

“Enquanto fomos bons rapazes, fomos sempre comidos”

Basicamente este é o pensamento que me tem percorrido desde ontem.

Continuo à espera de uma posição oficial do nosso clube aos acontecimentos de ontem em Alvalade. Tweets e Dragões Diário não são nada.

Na passada 3ª feira, após uma vitória (como sempre) o nosso Presidente veio dar algumas alfinetadas a um clube que, após perder os seus primeiros pontos num jogo que pouco ou nada nos dizia respeito, veio cair em cima do árbitro, mas ontem onde tinha oportunidade de mostrar que está diferente e não ia deixar passar mais nenhuma injustiça voltou a assobiar para o ar como se nada fosse com ele.

Não é assim que se conquistam campeonatos. O nosso adversário de ontem, passou a época passada numa choradeira sem fim ainda antes de começar o campeonato.

O atual campeão nacional não se preocupou em cair no ridiculo a semana passada quando perdeu os primeiros pontos, caindo em cima da arbitragem após o seu jogo contra o V. Setúbal.

Nós, bem nós, depois de um jogo de futebol que também poderia ter sido de andebol, tantas foram as vezes que as mãos foram usadas pelos jogadores adversários ou até de muay thai, uma vez que os cotovelos foram a forma mais usada para nos parar, mostramos a nossa indignação no twitter e no Dragões Diário. Enfim!

Se em relação à equipa nada tenho a apontar, uma vez que já se sabia que ia ser extremamente difícil. Estamos ainda a formar uma equipa e fomos jogar contra um adversário já com as rotinas todas bem oleadas e mesmo assim criamos dificuldades, fruto da raça que estes jogadores metem em campo. No que diz respeito à direção parece que afinal nada mudou. Continuamos os bons rapazes. Não falamos, não mostramos indignação, nada. Assobiamos para o ar como se nada se passasse.

Nota final para o adversário. Com este texto não quero minimizar a vitória do Sporting. São uma belíssima equipa, para mim a mais bem preparada para vencer o campeonato.

Apenas quero mostrar que temos de ter uma direção mais ativa e defensora do clube já que é para isso que lá estão.

Calendário da champions

Fonte: Página do facebook do FC Porto

Comer e calar ou fazer ruído, eis a questão!

Confesso que não vi o jogo no nosso rival da 2ª circular, com exceção do lance que lhes deu a igualdade no marcador, que graças a algumas partilhas nas redes sociais me foi permitido ver.

Vendo e revendo o lance parece-me no mínimo duvidosa a grande penalidade. Quer-me parecer que existiu sim uma boa simulação do Gonçalo Guedes, mas até dou de barato que mesmo sendo muito forçada, a falta tenha existido.

O que quero relatar aqui é a diferença de procedimento desse clube para com o nosso.

Nós, andamos há pelo menos dois anos a comer e calar. Somos prejudicados, até nos tiraram um título à conta das arbitragens (1º ano de JL) e a nossa direção nada. Nem um ruído, nem um assomo de indignação nada.

Ainda no sábado poderíamos ter empatado não fosse um golo de André Silva já ao cair do pano, num jogo muito complicado com um adversário que estacionou literalmente o autocarro na sua área. Nesse mesmo jogo, logo aos 5′ tivemos uma grande penalidade a nosso favor, que a ser marcada, poderia ter desbloqueado logo ali um jogo que foi muito difícil e mais uma vez, ninguém, repito, ninguém do nosso clube se manifesta.

É certo que vencemos. É certo que não precisamos desse lance. É certo que todos gostam muito de dizer que contra tudo e contra todos temos de vencer. Só que isso foi em tempos. Em tempos que vencíamos só porque sim. Porque os outros andavam completamente à deriva. Eram tempos que qualquer um que vinha treinar o FC Porto se arriscava a ser campeão. Esses tempos meus amigos, acabaram. Agora é tudo muito mais difícil. Por mérito dos adversários que evoluíram e por demérito nosso que regredimos e muito.

No pólo oposto temos o nosso adversário que, aos primeiros pontos perdidos, estrebucha logo, não tendo medo algum de cair no ridiculo. A experiência tem-me dito que, como diz o ditado, “quem não chora não mama”, e eles têm “mamado” e muito.

Com ou sem razão andam um fazer um ruído monumental, não só para não dar azo aos seus adeptos de criticarem o clube mas também lançando já avisos a quem de direito, que mesmo sem o santo protetor Vítor Pereira, não querem perder esse trunfo (arbitragens).

Não quero que o meu clube proteste por tudo e por nada, mas do que me tem sido dado a ver, são estas diferenças de postura que têm decidido os últimos campeonatos.

De Rafa Soares a Gonçalo Paciência, passando por Depoitre

Confesso que cheguei a ponderar seriamente a encerrar este meu espaço de opinião, tal é o desencanto com este defeso do meu clube.

Ando farto das mentiras presidenciais, da falta de capacidade para contratar (falta de dinheiro?), da falta de competência da estrutura, etc.

Logo à cabeça pela promessa (mais uma) falhada de Pinto da Costa que havia prometido Rafa Soares no plantel 2016/2017. Não sei porque mente o nosso Presidente, mas como dizia um comediante bem conhecido da nossa praça “não havia necessidade”.

Depois o que dizer da contratação de Depoitre? Alguém o conhece? Alguém atesta qualidade suficiente do belga para representar o nosso clube? Do que ouvi, só com muita dificuldade alguns (poucos) que o conhecem vêm nele capacidade para tais andanças.

E ainda sobre o belga, não foi Pinto da Costa a dizer que não contrataria mais ninguém que não conhecesse? Porque razão então foi buscá-lo, uma vez que, e fazendo jus às suas palavras, nunca tinha ouvido falar nele?

E como não existem duas sem três, o que dizer do amadorismo da nossa estrutura ao inscrever o belga para a pré eliminatória da Champions, descobrindo depois que tal não era possível? Sinceramente, nunca julguei tal ser possível no FC Porto. Que amadorismo, que falta de competência meu Deus.

Por fim e pegando na qualidade do belga (ou falta dela) e vendo as exibições do Gonçalo Paciência nos Jogos Olímpicos, surge-me uma questão. Porque carga de água é que não ficamos com o Gonçalo no plantel ao invés de termos ido buscar este belga? Porque razão andamos a salivar todos por Calleri quando, se calhar temos em André e Gonçalo dois avançados de qualidade superior?

Para terminar deixo aqui um desejo. Espero que pelo menos com Rafa Silva não nos deixemos ultrapassar pelos da 2ª circular. É um grande jogador, com uma qualidade enorme, e que pode fazer a diferença em qualquer jogo.

Dragões Diário e as virgens ofendidas

Hoje ao passar os olhos pela newsletter do meu clube, deparei com o seguinte texto que passo a reproduzir: “Foi uma insistência tão persistente que obrigou a um esclarecimento no site oficial, o FC Porto nunca esteve interessado no jogador Lucas Silva. Agora, corre a notícia que o jogador terá reprovado nos exames médicos no Sporting, ficando a dúvida, a quem interessava noticiar com tanta insistência o suposto e falso interesse do nosso clube nesse jogador? O jornal “A Bola” certamente que nos esclarecerá, para que todos possamos entender a origem de tantas notícias falsas.”

Ora para este esclarecimento sugiro que na próxima gala dos Dragões D’Ouro ou na apresentação de outro qualquer treinador ou jogador perguntem aos responsáveis por esse pasquim que forem convidados para o efeito.

É que não chega dar uma de virgens ofendidas quando alguma coisa não lhe agrada, para depois convidá-los a virem aos nossos eventos.

É preciso demonstrar o desagrado de forma mais veemente. É preciso deixar a hipocrisia de lado e mostrar a indignação em todas as situações.

Fica aqui o reparo.

 

Campeões, nós somos campeões Europeus!

Terminou em glória a nossa epopeia por terras gaulesas. Portugal é CAMPEÃO EUROPEU!

O dia prometia vir a ser de glória, depois das medalhas de ouro de Sara Moreira, Patrícia Mamona e da equipa feminia da meia maratona nos Europeus de atletismo, depois do bronze de Jéssica Augusto e de Tsanko Arnaudov nos mesmos campeonatos. Depois do 2º lugar do ciclista Rui Costa naquela que era a etapa rainha da Volta a França. Tudo estava propício a um final de dia épico.

E quando no inicio de jogo Payet entrou para “arrumar” com Cristiano Ronaldo, forçando-o a sair lesionado (Didier Deschamps descobriu como parar o nosso craque, só que fê-lo da forma mais porca e imunda possível), poderia pensar-se que as nossas esperanças acabariam por ali.

No meu caso em particular ainda pior fiquei já que a NOS, numa demonstração cabal de toda a sua qualidade (ou falta dela) teve uma avaria na minha zona, o que me fez não ver a primeira parte a partir dos 20 minutos e obrigando a ir para outro lado ver a segunda. Se já não ando nada contente com o serviço, ontem pior fiquei, mas adiante.

Só que a lesão de CR7 teve um efeito aglutinador na equipa, porque se existe uma qualidade que sobressai neste grupo de trabalho é a sua união. Fizeram das fraquezas forças, lutaram e resistiram aos ataques da seleção anfitriã, aguentaram a uma arbitragem tendenciosa que tudo tentou para nos tirar o “caneco”.

Conseguimos vencer com um golo já na segunda parte do prolongamento com um dos marcadores mais improváveis de todos (Éder, desde já te peço desculpa por te ter subestimado) e deixar todo um país, que tanto tem sofrido nas mãos dos seus governantes numa onda de felicidade que há muito merecíamos.

Fernando Santos tinha dito que só regressaria dia 11 de julho e em glória, e o certo é que cumpriu. Se havia treinador que merecia este título era ele. Conseguiu unir uma equipa que havia sido deixada em cacos pelo seu antecessor, chamou alguns “proscritos”, aproveitou uma fornada de talento vinda dos sub 21 e conseguiu formar um grupo indestrutível. Pode não ter jogado bonito, mas foi eficaz e tal como ele disse, conseguiu pôr a equipa com alma até Almeida.

Sempre vivi a seleção de forma muito intensa. É o clube de todos nós, ou pelo menos deveria ser. Somos portistas, benfiquistas, sportinguistas, bracarenses, vimaranenses, etc, etc, mas acima de tudo somos portugueses, e eu sou um orgulhoso português.

Em 2004 fui assistir à final no estádio do Braga no ecrã gigante e saí de lá em lágrimas, portanto para mim ontem foi um dia de alegria extrema, um sentimento indescritível.

Como portista e português já posso dizer que assisti em vida a títulos europeus dos meus dois clubes (FC Porto e Portugal) o que me deixa extremamente feliz.

Uma palavra final para os nossos emigrantes. Pessoas que em dois momentos distintos da nossa história se viram obrigadas a sair do seu país para procurar a sorte noutras paragens, pessoas que sentem e vivem estas coisas com ainda maior intensidade porque estão “longe” da sua zona de conforto.

Estiveram excecionais, sempre a apoiarem, sempre presentes à porta do centro de estágio, sempre presentes no estádio (ontem conseguiram abafar os adeptos da casa em muitos momentos). Foram inexcedíveis e se havia pessoas que mereciam este título eles mereceram-no certamente.

Foi um dia de Portugal, um 10 de julho com sabor a 10 de junho que ficará marcado para sempre como uma das datas mais emblemáticas do desporto português.

Excelente!

Excelente vídeo produzido pelo nosso clube na campanha para a venda de lugares anuais.

Aconselho a verem, porque está realmente muito bom.

Assim se trabalha o marketing. Parabéns!

 

Arranque

Hoje é o arranque da época 2016/2017.

Uma época que se deseja diferente das últimas três e que, acima de tudo, os títulos regressem à nossa casa.

Ao novo treinador e plantel o até os comemos carago deseja a melhor das sortes. O vosso sucesso será o sucesso dos adeptos.

Vencedores da Taça de Portugal

Quem me conhece sabe que esta é a única modalidade em que a minha equipa de coração não é o FC Porto. Sou de Valongo, terra que respira hóquei em patins por todos os poros e como tal torna-se difícil ser adepto de outra equipa que não a AD Valongo.

De todas as formas e como é óbvio, caso o Valongo não vença, que seja o FC Porto a fazê-lo e se for diante de uma equipa com um orçamento monstruoso que faz com que qualquer duelo contra ela seja uma espécie de luta de David contra Golias tanto melhor.

E foi o que aconteceu ontem, com o FC Porto a levar de vencida essa equipa por 4-2 conquistando com todo o mérito a Taça de Portugal.

Com um equipa jovem mas com muito valor levaram de vencida os “vencedores antecipados” da competição.

Para a história ficam os marcadores dos golos, Hélder Nunes e Gonçalo Alves com dois golos cada.

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑

Tomo III

blogue de um portista indefectível exclusivamente para dragões dos quatro costados

Imbicto Poema

De Imbicto Portista para Portista Imbicto, um tribunal de reflexão e debate universal sobre o FC Porto

pedalo pela cidade

... mas também caminho por montes e vales!!!

+ EDUCação

Jornal da Educação de Valongo

O Mundo de Alice

um passeio pela vida e pelo mundo

Aventar

Expor ao vento. Arejar. Segurar pelas ventas. Farejar, pressentir, suspeitar. Chegar.

Porta 19

CURIOSO. CRÍTICO. PARVO. BARRIGUDO. CARECA. ADEPTO. SÓCIO. PORTISTA.

BiTri

Prognósticos só no final do jogo

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 400 outros seguidores