Tondela-FC Porto (Lusa)

Jogo muito pobre este o do nosso clube, ainda na ressaca do desastre europeu contra o Dynamo.

A única coisa que se salvou foi mesmo o resultado, graças a um grande golo de Brahimi.

Jogo sem intensidade, sem qualquer ponta de velocidade este contra o modesto Tondela, disputado em Aveiro.

Nota-se que alguns jogadores baixaram imenso de forma, casos de Aboubakar, Rúben Neves, Brahimi (mesmo levando em linha de conta o grande golo que marcou) e uma falta de confiança que se estranha e muito neste momento. É certo que o jogo de terça feira deixou marcas. É certo que ontem não podíamos perder pontos, mas não deixa de ser penoso ver-nos a passar tempo nos últimos minutos, contra o último classificado do campeonato.

Enfim, foi mesmo muito mau, vamos aos destaques.

Vedetas

Casillas – Pode não ter tido trabalho nenhum durante o jogo todo, mas na única vez que foi necessário, disse presente, ao defender uma grande penalidade a 10 minutos do fim.

André André – Talvez o único jogador no plantel que respira confiança por todos os poros e isso nota-se em campo. Neste momento está muito acima de qualquer um.

O golo de Brahimi – Sem sombra de dúvida será um dos golos do ano. O argelino quando põe o talento ao serviço do jogo tem muito mais a ganhar do que quando põe o mercenarismo.

Pernetas

Bueno – Ninguém deu pela sua presença em campo.

Maicon – Que raio de disparate foi aquele pá? Tinhas acabado de entrar e vais cometer uma grande penalidade? Pior entrada não podias ter tido.

Falta de intensidade do nosso jogo – Realmente só jogamos a duas velocidades (devagar e parado) e isso reflete-se nas parcas oportunidades que dispomos nos jogos. Aliado a isso ainda tivemos o facto da bola ontem parecer queimar os pés dos jogadores.

Temos agora um jogo muito importante na Madeira, onde Lopetegui nunca conseguir vencer, e onde não podemos perder pontos se não queremos comprometer ainda mais as contas do título.

 

Anúncios