Num jogo muito complicado e com os nervos à flor da pele, o nosso clube levou de vencida um grupo de distribuidores de lenha em jogo dos quartos de final da Taça de Portugal.

Num jogo em que o homem do apito tudo fez para que tivéssemos sorte diferente daquela que tivemos, permitindo tudo à equipa que vestia de xadrez e nada à de azul e branco.

Num jogo em que um puto mimado por um pai que, ou muito me engano, lhe irá estragar a carreira, decidiu, depois de nada de jeito fazer no tempo que esteve em campo, cometer uma falta completamente estúpida que permitiu ao senhor do apito mostrar o tão desejado vermelho para os nossos lados, pondo-nos a jogar com menos um quase meia hora de jogo.

Num jogo nada bem jogado de parte a parte, onde se viu mais luta que classe.

Num jogo assim, com tantas coisas más, sobressaiu uma atitude de um jogador, que para mim sempre foi um exemplo dentro e fora das quatro linhas.

Falo obviamente do ENORME HELTON. Após defender a grande penalidade no último segundo que poderia ter dado o empate ao adversário e vendo que o jovem jogador (19 anos) contrário ficou visivelmente e compreensivelmente abatido dirigiu-se a ele, abraçou-o, confortou-o, mostrando uma vez mais que podes estar na mó de cima, mas manteres sempre a humildade.

Foi sem sombra de dúvida um gesto muito bonito e que ficará na retina do jogador axadrezado para sempre. Foi também uma bofetada de luva branca para todos os detratores do nosso guarda redes. Pode ter tido atitudes em tempos que foram criticáveis, mas ninguém é perfeito, e ele, merece toda a nossa gratidão pela carreira que fez com o nosso brasão ao peito.

Parabéns Helton. Tu não és grande, és ENORME!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios