Busca

Até os Comemos Carago

mês

fevereiro 2016

Onde páras FC Porto?

Não, não exigia que o meu FC Porto passasse a eliminatória depois do desaire em Dortmund.

Tinha a plena consciência de que seria tremendamente difícil, mas também tinha a firme convicção que tudo iríamos dar para ultrapassar este obstáculo. Aliás, estava tão convicto disso (devo ser mesmo crente) que numa votação colocada pelo meu amigo M. no seu blog votei que iríamos passar a eliminatória.

Claro que isso foi antes de ver o onze titular, porque depois de o ver toda a minha esperança se diluiu. Aquele onze, e que me desculpem, foi um atirar da toalha ao chão ainda antes de começar o jogo. Já vi isso noutros clubes, mas no meu, numa competição europeia, nunca tinha visto. Desistir antes de se jogar? A sério? Foi para isso que puseram bilhetes a preços proibitivos? Para os adeptos irem ver aquele espetáculo degradante?

E tal deve ter sido essa a mensagem que se passou no balneário, que os próprios jogadores em campo pouco ou nada fizeram para inverter as coisas. Tirando Danilo Pereira, Suk desde que entrou e a espaços Layún, não vi vontade em mais ninguém de mudar as coisas.

E não me venham com a história do golo em fora de jogo, porque mesmo assim, teria de haver vontade de inverter as coisas, teria de haver brio para sair com dignidade, de cabeça erguida.

Isto não é o meu Porto. O meu Porto era temido na Europa. O meu Porto não se deixava perder tão facilmente em casa fosse contra quem fosse. O meu Porto era respeitado, não víamos os treinadores adversários a virarem-se para os jogadores e dizerem que podem dormir um bocadinho ou tomar um cafézinho. O meu Porto nunca virava a cara à luta.

Os jogadores estão cansados? Acredito. Mas e os das outras equipas? Não jogam tantos ou mais jogos que nós? Que preparação física andamos a ter? A imagem de Maxi a arrastar-se em campo é sintomática disso mesmo.

As coisas têm mesmo de mudar. A última entrevista de Pinto da Costa deu-me algum alento para o que aí vem. Coincidência ou não, Vítor Pereira anunciou a sua saída, que já peca por tardia, tal foi a subserviência a um determinado clube. Agora ao que consta virá Duarte Gomes (terá abandonado a arbitragem com esse mesmo propósito), um benfiquista confesso, mas que espero, venha a trazer a isenção e a imparcialidade ao futebol português, que bem precisa.

Já que Pinto da Costa vai continuar à frente do nosso clube, que esta última aparição tenha sido o regresso à sua velha forma e não apenas um fogacho, porque vamos mesmo precisar de um Presidente na verdadeira aceção da palavra para voltarmos a ser um clube respeitado e temido por todos, porque ontem… ontem foi mau demais!

Anúncios

Bravo!

Finalmente!!!

Ao fim de muito tempo (demasiado para mim), o nosso Presidente decide partir a loiça.

Não sei se é a proximidade das eleições e o medo de ter uma votação bem abaixo daquela que está habituado, ou se simplesmente decidiu que não pode ficar escondido eternamente, o certo é que voltei a reconhecer o nosso Presidente no estilo que tão bem nos habituou ao longo dos anos.

Passo a citar o que vem publicado no site oficial do FC Porto:

“Jorge Nuno Pinto da Costa considera “incompreensível” o facto de dois dos três elementos que compõem a Comissão de Nomeações do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol se absterem nas reuniões por não concordarem com a forma como a arbitragem tem sido gerida. Em declarações à margem do evento que serviu de “tiro de partida” à “Peace Run”, o presidente do FC Porto confessou ainda que já esperava que João Capela fosse o árbitro nomeado para o jogo com o Belenenses, marcado para domingo, às 19h15 no Estádio do Restelo.

Pinto da Costa defende que a forma como os árbitros têm sido nomeados não favorece o bom ambiente no futebol português. “Há coisas incompreensíveis. Há duas semanas, fui recebido pelo Conselho de Arbitragem para esclarecer determinadas questões e fui surpreendido com o facto de haver uma Comissão de Nomeações, formada por três membros – o senhor Vítor Pereira, o senhor Luis Guilherme e o senhor Lucílio Baptista -, sendo que em todas as reuniões dessa comissão, o senhor Luis Guilherme e o senhor Lucílio Baptista se abstêm, porque não estão de acordo com a forma como está a ser gerida a arbitragem, nomeadamente pelo senhor Ferreira Nunes, de Coimbra, que é quem controla as classificações dos observadores. E assim cairmos na situação ridícula em que o árbitro escolhido para a final da Taça de Portugal do ano passado tenha depois descido de divisão”.

Desafiado a comentar a nomeação de João Capela para o Belenenses-FC Porto, da 24.ª jornada da Liga NOS, o líder portista garantiu não ter ficado surpreendido: “Acho graça, porque quando me perguntaram quem é que achava que seria o árbitro do jogo em Belém, eu disse que era o João Capela ou o Nuno Almeida e, pelos vistos, o meu palpite estava certo”.

O empréstimo de Maicon ao São Paulo foi outro dos assuntos abordados por Pinto da Costa, que considerou que a cedência foi “a melhor solução quer para o jogador quer para o FC Porto”, garantindo ainda assim que o central brasileiro regressará a 30 de Junho, como ficou acordado. “Toda a gente sentiu que depois daquele jogo ele não tinha condições para continuar a vestir a camisola do FC Porto. Apareceu o São Paulo e entendemos que era a melhor solução para o jogador poder reiniciar a carreira e a melhor solução para o FC Porto. Pode regressar? Sim, até porque tem contrato de três anos. Mas há uma coisa que é certa: ficar lá até ao final do ano, isso não fica, porque foi acordado que no 30 de Junho tem que se apresentar aqui”.

Quanto à polémica relação da TAP com o aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, Pinto da Costa usou da ironia para voltar a comentar o assunto. “Como cidadão portuense, acho que devemos em primeiro lugar compreender que os tempos mudam, que as circunstancias são diferentes e que, portanto, os nomes também deviam mudar. E a primeira coisa que a TAP devia fazer era mudar o nome para Transportadora Aérea da Portela e aí já compreenderíamos tudo. Penso que estamos a ter uma ótima reação e colaboração por parte das outras transportadoras e desde que seja garantido que o Porto não perderá os voos a que tem direito e de que tem necessidade, para mim, o facto de não serem da Transportadora Aérea da Portela é uma garantia de qualidade”.”

Bravo Sr. Presidente!!

Valeu pela reação

FC Porto-Moreirense (Lusa)

Mais um jogo atípico de uma equipa atípica que teima em entrar com o pé esquerdo todos os jogos nos últimos tempos.

Fosse ainda no tempo do outro senhor e provavelmente teríamos perdido todos esses jogos, mas agora com um treinador que aprecia a velocidade e o ataque as recuperações tornam-se possíveis.

Mas dentro da euforia (se é que podemos ficar eufóricos com uma recuperação de dois golos de desvantagem em pleno Dragão ante o Moreirense) de uma reviravolta no marcador de um jogo que parecia perdido à passagem da meia hora, temos de tirar as devidas ilações.

Primeiro, tudo isto só se tornou possível graças a um erro de arbitragem. Maxi Pereira não sofreu falta para grande penalidade. O jogador adversário cortou a bola, e só depois acabou por atingir o uruguaio fazendo-o cair. Não foi um salto para a piscina como tínhamos visto no dia anterior, mas foi igualmente um erro, que no caso nos deu o balão de oxigénio necessário para que tal reviravolta fosse concretizada.

Depois, existem claramente jogadores que estão fora de forma ou com a cabeça longe daqui. É o caso de Corona por exemplo. Quarenta e cinco minutos de nada. Não existe em campo e já não é de agora. Depois de um inicio fulgurante, o mexicano foi perdendo o fulgor e está a mais no onze titular.

André André também não está bem, se bem que este tenta disfarçar com a garra que mete em campo.

Brahimi é um caso que nem sei que diga. Tem qualidade, tem tudo para ser grande, mas depois perde-se num emaranhado de fintas inconsequentes que pouco ou nada de positivo trazem à equipa.

Chidozie depois de um bom jogo na Luz esteve francamente mal ontem. Os golos nascem de erros posicionais dele, que sendo perdoáveis a um “miúdo” de 18 anos, poderiam se ter tornado fatais para o FC Porto. Espero que a próxima época esteja a ser preparada e se vá buscar centrais de qualidade e não alguns jogadores para “tapar buracos”.

Depois, e embora eu até seja um crítico desta forma de gestão do clube, não consigo perceber porque é que se continua a assobiar logo aos 20′, quando precisamos é de dar ânimo para tentar inverter os acontecimentos. Felizmente não foram muitos a fazê-lo mas penso que já são horas de parar com isso.

Um amigo de outro clube diz-me que nós estamos mal habituados e que qualquer derrota ou fase má serve para nos queixarmos de tudo e de todos. Eu prefiro dizer que ainda bem que estamos habituados a ganhar. É bom sinal. Mas realmente assobiar por tudo e por nada já começa a irritar, até a mim que gostava muito que as coisas mudassem dentro do clube.

De positivo destaco Layún mais uma vez. Comprem o passe do homem. Mais uma assistência para golo, mais um bom jogo de um defesa esquerdo que sem dúvida ataca muito melhor do que defende, mas pesando na balança o mexicano já se tornou imprescindível no nosso onze.

Danilo Pereira está cada vez mais a ser importante dentro de campo. É um líder nato, para além de ser um enorme jogador. Defende como poucos, parte para o ataque a preceito, cabeceia bem (ontem quase que fazia mais um golo). A segurar para a próxima época. Não pode sair.

A entrega de Suk. O sul coreano não me enche as medidas. Não me parece jogador para o FC Porto. Mas que luta como um Dragão luta. Deixa tudo em campo e acabou premiado com um bom golo, e mais uma grande oportunidade, superiormente defendida pelo guardião contrário.

Maxi Pereira sempre muito lutador e ontem não fugiu à regra. Goste ou não dele, é um profissional exemplar.

Continuamos na luta (se bem que mais na teoria do que na prática) e à espera de um tropeção dos dois da frente para podermos ainda acalentar alguma hipótese de sermos felizes.

Segue-se agora uma visita ao Benfica B, perdão, ao Belenenses, equipa que alegadamente é paga pelo clube da 2ª circular que equipa de vermelho, que com toda a certeza não será tão “macia” como foi à umas semanas atrás contra os homens da #porta18, tendo pelo meio a receção ao Borussia de Dortmund para a Liga Europa.

Temos de continuar a ganhar. Esse é que é o nosso ADN e temos de o recuperar o mais rápido possível.

Noite europeia!

Hoje o jogo de maior cartaz desta eliminatória da Liga Europa é sem sombra de dúvida o do FC Porto em Dortmund.

Espero um Porto capaz de superar as faltas de Danilo e Maxi Pereira e que consiga trazer um bom resultado, de modo a que na partida da 2ª mão no Dragão, possamos resolvê-la a nosso favor.

Vai ser muito difícil, até pelo ambiente que é criado no estádio pelos seus fantásticos adeptos, mas tenho confiança (que não é cega como a do outro) que os guerreiros que vi na passada sexta feira estejam igualmente à altura mais logo.

“Bamos lá cambada!”

Obcecados!

Durante a semana ouvi tanta coisa por parte dos adeptos do clube rival que até parecia que o jogo estava ganho por eles, e por goleada.

O próprio clube entrou na onda dos seus apoiantes e lançou um spot publicitário parvo e ridículo aludindo a uma “pretensa” obsessão.

Fomos completamente menosprezados por eles, e quando assim é, ainda mais gozo dá chegar lá e “limpar-lhes o sebo”.

Não percebi o porquê desse menosprezo. Tivéssemos nós a proteção divina deles e hoje estaríamos em igualdade pontual, ou até à frente, bastava para isso o árbitro do jogo com o Arouca e com o Rio Ave (foi o mesmo) ter feito o seu papel e ter sido isento.

Mas adiante, porque para o jogo de ontem isto pouco interessa.

Para mim, o jogo começou logo a ser ganho no inicio, quando Peseiro num ato de coragem e de inteligência não fez a vontade à imprensa e apostou no jovem Chidozie no centro da defesa, mantendo Danilo Pereira no lugar onde rende, e onde tem mostrado ser o melhor trinco português da atualidade, a léguas de distância de qualquer outro.

Se Danilo fosse para o centro da defesa, perderíamos força no meio campo e estaríamos a jogar com um jogador a central, que não é de todo o seu habitat natural.

Depois tivemos um Casillas ao seu melhor nível. Ele que até tem falhado algumas vezes, ontem foi praticamente intransponível. Defendeu quase tudo, até o remate mais perigoso de todos, protagonizado por Martins Indi.

Maxi não se atemorizou perante o suposto “inferno” que iria ter. Esteve igual a si próprio. Alguém viu a super estrela Gaitán durante o jogo?

Layún fez talvez o seu melhor jogo a nível defensivo e teve mais uma assistência para golo (já são 14 só para o campeonato).

Herrera com um grande golo e uma entrega formidável. Quando o mexicano joga assim faz-me dar o braço a torcer, eu que tanto o critico.

André André que nas suas novas funções faz rodar o jogo muito mais fluído e objetivo.

Aboubakar, um trabalhador incansável. Não é de todo um ponta de lança como Jackson, mas nunca desiste e ontem após mais alguns falhanços, acabou por ser dele o golo da vitória.

Danilo Pereira, que tal como disse em cima, é o melhor trinco do nosso futebol. Está numa forma excecional. É um verdadeiro tampão no centro da defesa e consegue transportar a bola da defesa para o ataque com um critério fabuloso.

Chidozie que com a sua tenra idade, chegou a um estádio com um ambiente hostil e jogou com uma naturalidade enorme. Com a falta de centrais que temos não se compreende a sua não inscrição na Liga Europa. Agora vamos ver como será com o Dortmund, porque não me parece que o José Sá possa fazer esse lugar (sim, a minha critica para a SAD tem de vir porque eles falharam redondamente neste mercado de inverno).

Brahimi, Corona e Martins Indi não estiveram para mim tão bem como os outros, mas também lutaram e muito.

Foi uma vitória do querer, contra a sobranceria da equipa e adeptos da casa. Foi a vitória da humildade contra a arrogância.

Se é o suficiente para entrarmos na discussão do título não sei. Talvez não seja, até porque não estamos a lutar contra uma equipa, mas sim contra duas e não me parece que andemos a pagar salários aos jogadores dos clubes adversários nas vésperas de os defrontarmos, além de que, não é por termos vencido ontem que tudo o que de mau fizemos foi esquecido. Ainda não estamos bem de certeza, mas uma coisa vejo. Peseiro pode não ter sido o treinador ideal para se contratar, mas a mim que fui critico da sua vinda, conquistou-me no discurso de apresentação, e continua a conquistar-me com o futebol rápido e de ataque  que pôs o meu clube a praticar.

E com esta já são duas vezes que conseguimos virar resultados, o que é sintomático de uma mudança de mentalidade dentro da equipa.

Hoje é para disfrutar. Vencemos os dois jogos ao nosso rival interno e isso dá sempre um certo prazer.

Dúvida central

Logo mais quem colocarias ao lado de Martins Indi a central? Eu não teria dúvidas. Jamais abdicaria de um jogador como Danilo no meio campo e apostaria no miúdo Chidozie. De todas as formas, e mais uma vez a nossa SAD fica muito mal na fotografia por não ter acautelado esta situação. Mesmo com Maicon dispomos de muito poucas opções.

De todas as formas deixa a tua opinião aqui abaixo:

Para a SAD, o adepto conta muito pouco

Desde hoje o Porto Canal deixou de ser transmitido pela operadora NOS, fruto do contrato milionário (?) que o nosso clube fez com uma concorrente (MEO).

É lamentável que o meu clube não tenha acautelado para a possibilidade de existirem (e existem muitos) sócios e adeptos do FC Porto noutras operadoras. Mais uma prova que o que conta verdadeiramente é o dinheiro. Cada vez mais temos um clube fechado sobre si mesmo e onde cada vez mais, o sócio e adepto comum não contam.

Ando demasiado desgostoso com o rumo que o meu clube anda a tomar e isto é SÓ MAIS UMA atitude que me entristece.

Mesmo assim, e porque o amor ao clube é grande, hoje informei-me junto da DECO se seria possível rescindir contrato com a NOS alegando que me subtraíram o Porto Canal sem aviso prévio e que do contrato que assinei, esse mesmo canal fazia parte da grelha.

O que me disseram é que sendo possível, é de muito difícil concretização, uma vez que teria de provar que ter esse mesmo canal era uma condição essencial para assinar contrato com a NOS.

Resumindo, vou ter mais de um ano sem o canal do meu clube, tudo porque, numa lógica de venha a nós o dinheirinho para “estourarmos” em jogadores de qualidade muito duvidosa e sabe-se lá mais em quê, não acautelou, nem pensou no adepto (mais uma vez).

Depois admiram-se que o estádio vá ficando cada vez mais vazio, a cada ano que passa.

A imbecilidade de Maicon e o silêncio incompreensível da SAD!

Ontem assistimos muito provavelmente ao adeus em definitivo da conquista do título, o que virá a acontecer pelo terceiro ano consecutivo e, para além disso, à hipótese de nos apurarmos diretamente para a próxima edição da Liga dos Campeões.

Confesso que de todas as derrotas desta época, esta é a que me está a custar mais digerir. Não pelo futebol jogado, que sem ser nenhum primor, também já assisti a bem pior esta época. Registo com agrado que já conseguimos chegar lá à frente com mais perigo. Só não marcamos mais, porque falta evidentemente qualidade lá para a frente, mas nisso Peseiro não tem culpa. Assim como não tem culpa que ao invés de nos termos preocupado em arranjar um central de qualidade que pudesse “acertar” aquela defesa, a nossa SAD tivesse preferido ir buscar um guarda redes que ainda ninguém percebeu para quê, para além do querer chatear um clube rival (devemos estar muito bem financeiramente para fazer este tipo de parvoíces).

O que me custou neste jogo foi assistir mais uma vez ao silêncio ensurdecedor da SAD após mais um roubo perpetrado pelo homem do apito, ao anular-nos um golo limpo, que na altura daria o 2-1 a nosso favor e tudo seria diferente com toda a certeza. Confesso que ainda tive esperança que ontem visse finalmente o nosso presidente a revoltar-se, já que agora sabe (segundo palavras dele) estar de boa saúde e na plenitude das suas capacidades mentais.

Pensei que finalmente reassumisse a presidência, como tão bem a fez durante anos a fio, mas não, definitivamente o homem tem o “rabo preso” por algum motivo. Se não é por motivos de saúde só pode mesmo ser pelo motivo que enumerei acima, e se assim o é pergunto que sentido faz termos alguém ao leme que não pode defender o próprio clube? Devemos-lhe muito? Claro que sim. Muito mesmo. Mas que eu saiba ele não está a liderar os nossos destinos pro bono. Que eu saiba ele é pago principescamente para nos defender contra as injustiças. Andamos a ser comidos à descarada. A comunicação social tudo branqueia (veja-se a diferença de tratamento entre o caso de um grupo de portistas que foram expulsos de um voo que até motivou depois um pedido de desculpas da própria companhia e o roubo cobarde de um grupo de benfiquistas a uma criança paraplégica), os árbitros não nos respeitam e tudo sob o silêncio da SAD. Nem uma palavra, nada. O único comentário vem da newsletter Dragões Diário que, diga-se de passagem é o mesmo que dizer que nada fazemos para inverter o estado das coisas.

Para além deste caso, tivemos também a imbecilidade de Maicon que nos veio a custar a derrota. Imperdoável num profissional do nosso clube aquela asneira. Não sei o que lhe passou pela cabeça, ou o que lhe anda a passar pela cabeça ultimamente, porque sem nunca ter sido um jogador de topo, já foi bem melhor do que aquilo que tem demonstrado.

Mas, mais grave do que a parvoíce feita, foi o abandonar o jogo logo de seguida, supostamente por estar lesionado. Uma atitude que, vinda de um jogador que enverga a braçadeira de capitão (hoje em dia qualquer um a enverga infelizmente) se torna imperdoável. Quando vi aquilo perdi completamente as estribeiras. Por mim ele não jogava mais pelo FC Porto. Se a nossa SAD ainda tiver um pingo de brio e amor pelo clube, se ainda não se tiver vendido completamente à Doyen é o que fará certamente.

Um erro, todos podem cometer, agora abandonar cobardemente o jogo, simulando uma lesão, após esse lance, ainda para mais sendo capitão de equipa, para mim não tem perdão. Nunca em tantos anos que sigo o meu clube imaginei assistir a uma cena tão indigna como a que vi ontem. É uma desonra para a história dos nossos capitães. O que estarão a pensar jogadores como Fernando Gomes, João Pinto, Jorge Costa, Vítor Baía, etc. Aos poucos vamos perdendo tudo o que fomos conquistando com sangue, suor e lágrimas. É lamentável, deveras lamentável.

Valha-me ao menos o meu caro amigo (Miguel Lima) com quem vou trocando sms durante os jogos que ajudam a deitar cá para fora a minha revolta. Ele é que me “atura” nestas fases, ele que também deveria estar igual ou pior a mim.

Foi muito mau. Uma SAD que nada faz em defesa do clube e um capitão a abandonar “o barco”, não sei mais o que esperar. Só espero que na próxima sexta veja algum brio nos jogadores para sairmos “vivos” do jogo.

Filha da Putice!

“Após o jogo, um jovem adepto dos dragões, que assistia ao encontro numa cadeira de rodas, ficou sem o cachecol e sem a camisola oferecida por Gudiño, por ação de simpatizantes do Benfica. A tensão prolongou-se e a comitiva do F. C. Porto teve mesmo de deixar o estádio sob escolta.” – JN

Que valentões estes grandessíssimos filhos de uma p…

São mesmo uns anjos. Depois dos desacatos em Guimarães a época passada, onde saquearam o armazém do clube local, depois dos desacatos em Madrid, ou os da semana passada entre eles próprios, decidem agora roubar uma criança de cadeira de rodas. São mesmo valentes estes “mauzões”.

Só lamento é nenhum jornal desportivo tenha dado ênfase a esta notícia. Tivessem sido adeptos nossos e estaria em grande destaque  nas capas dos mesmos. De todas as formas, a cobardia e a filha da putice fica para aquele grupo de bestas que protagonizaram tal ato.

Para a história desse jogo fica também a vitória do nosso clube e o consequente apuramento para as meias finais da Premier League International Cup, mas depois do que relatei em cima, o resultado do jogo é o menos importante.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

nonagésimo segundo minuto

blogue de um portista indefectível exclusivamente para dragões dos quatro costados

Imbicto Poema

De Imbicto Portista para Portista Imbicto, um tribunal de reflexão e debate universal sobre o FC Porto

pedalo pela cidade

... mas também caminho por montes e vales!!!

+ EDUCação

Jornal da Educação de Valongo

O Mundo de Alice

um passeio pela vida e pelo mundo

Aventar

Expor ao vento. Arejar. Segurar pelas ventas. Farejar, pressentir, suspeitar. Chegar.

Porta 19

CURIOSO. CRÍTICO. PARVO. BARRIGUDO. CARECA. ADEPTO. SÓCIO. PORTISTA.

BiTri

Prognósticos só no final do jogo