Finalmente!!!

Ao fim de muito tempo (demasiado para mim), o nosso Presidente decide partir a loiça.

Não sei se é a proximidade das eleições e o medo de ter uma votação bem abaixo daquela que está habituado, ou se simplesmente decidiu que não pode ficar escondido eternamente, o certo é que voltei a reconhecer o nosso Presidente no estilo que tão bem nos habituou ao longo dos anos.

Passo a citar o que vem publicado no site oficial do FC Porto:

“Jorge Nuno Pinto da Costa considera “incompreensível” o facto de dois dos três elementos que compõem a Comissão de Nomeações do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol se absterem nas reuniões por não concordarem com a forma como a arbitragem tem sido gerida. Em declarações à margem do evento que serviu de “tiro de partida” à “Peace Run”, o presidente do FC Porto confessou ainda que já esperava que João Capela fosse o árbitro nomeado para o jogo com o Belenenses, marcado para domingo, às 19h15 no Estádio do Restelo.

Pinto da Costa defende que a forma como os árbitros têm sido nomeados não favorece o bom ambiente no futebol português. “Há coisas incompreensíveis. Há duas semanas, fui recebido pelo Conselho de Arbitragem para esclarecer determinadas questões e fui surpreendido com o facto de haver uma Comissão de Nomeações, formada por três membros – o senhor Vítor Pereira, o senhor Luis Guilherme e o senhor Lucílio Baptista -, sendo que em todas as reuniões dessa comissão, o senhor Luis Guilherme e o senhor Lucílio Baptista se abstêm, porque não estão de acordo com a forma como está a ser gerida a arbitragem, nomeadamente pelo senhor Ferreira Nunes, de Coimbra, que é quem controla as classificações dos observadores. E assim cairmos na situação ridícula em que o árbitro escolhido para a final da Taça de Portugal do ano passado tenha depois descido de divisão”.

Desafiado a comentar a nomeação de João Capela para o Belenenses-FC Porto, da 24.ª jornada da Liga NOS, o líder portista garantiu não ter ficado surpreendido: “Acho graça, porque quando me perguntaram quem é que achava que seria o árbitro do jogo em Belém, eu disse que era o João Capela ou o Nuno Almeida e, pelos vistos, o meu palpite estava certo”.

O empréstimo de Maicon ao São Paulo foi outro dos assuntos abordados por Pinto da Costa, que considerou que a cedência foi “a melhor solução quer para o jogador quer para o FC Porto”, garantindo ainda assim que o central brasileiro regressará a 30 de Junho, como ficou acordado. “Toda a gente sentiu que depois daquele jogo ele não tinha condições para continuar a vestir a camisola do FC Porto. Apareceu o São Paulo e entendemos que era a melhor solução para o jogador poder reiniciar a carreira e a melhor solução para o FC Porto. Pode regressar? Sim, até porque tem contrato de três anos. Mas há uma coisa que é certa: ficar lá até ao final do ano, isso não fica, porque foi acordado que no 30 de Junho tem que se apresentar aqui”.

Quanto à polémica relação da TAP com o aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, Pinto da Costa usou da ironia para voltar a comentar o assunto. “Como cidadão portuense, acho que devemos em primeiro lugar compreender que os tempos mudam, que as circunstancias são diferentes e que, portanto, os nomes também deviam mudar. E a primeira coisa que a TAP devia fazer era mudar o nome para Transportadora Aérea da Portela e aí já compreenderíamos tudo. Penso que estamos a ter uma ótima reação e colaboração por parte das outras transportadoras e desde que seja garantido que o Porto não perderá os voos a que tem direito e de que tem necessidade, para mim, o facto de não serem da Transportadora Aérea da Portela é uma garantia de qualidade”.”

Bravo Sr. Presidente!!

Anúncios