Busca

Até os Comemos Carago

mês

abril 2016

Equipa B

Ontem a nossa equipa B consegui mais uma vitória no campeonato da 2ª liga, solidificando assim a liderança desse campeonato.

Uma equipa constituída por muitos jovens da nossa formação que tem vindo a dar cartas semana após semana, mesmo com saídas importantes em janeiro e com alguns jogadores de quando em vez a serem convocados para a equipa principal, não podendo por isso dar o seu contributo.

Ontem mais uma vitória plena de garra e vontade. Depois de estarem a perder em Faro conseguiram dar a volta e levaram de vencida a equipa local, com um golo já nos descontos.

Já no fim de semana passado conseguimos uma vitória nos descontos e a jogar com 10 jogadores, o que só atesta do carater que por ali grassa.

Numa altura em que se fala tanto de carater, não seria de dar mais aproveitamento a estes jovens na equipa A, uma vez que estamos em “pré época”? Não seria de começar já a preparar as bases para a época vindoura promovendo os mais promissores? Ou será que o discurso que se ouviu da boca do presidente na recente entrevista dada ao Porto Canal foi, como dizem os brasileiros, “conversa mole para boi dormir”?

Anúncios

A nossa voz é uma newsletter

Não me vou alongar. Até porque se quem de direito não o faz, porque carga de água me irei eu chatear com isso.

Apenas quero deixar aqui o meu lamento por (mais) uma situação que se arrasta, semana após semana.

No Sporting, sempre que se sentem prejudicados (e até mesmo quando não se sentem) pela arbitragem, o seu presidente dispara em tudo o que mexe. É certo que por vezes cai no ridiculo mas não deixa passar nada. O outro clube, bem esse clube não fala muito porque não tem razões rigorosamente nenhumas para o fazer, mas quando fala lá aparece a figura que faz lembrar uma personagem dos Simpsons a mandar umas “postas de pescada”.

E nós? Quando falamos? Como falamos? Bem, nós usamos uma newsletter. Ninguém vem a terreiro falar, ninguém dá a cara, tudo assobia para o lado parecendo que sermos prejudicados todas as semanas, pouco ou nada importa. Têm o “rabo preso” pelo passado? Estão de alguma forma condicionados a fazê-lo? Ou simplesmente nos aburguesamos de tal forma que agora não é importante queixar-mo-nos dos erros arbitrais?

Seja qual for o motivo é lamentável que ninguém apareça e começa a tornar-se decadente, dia após dia a Dragões Diário vir a terreiro queixar-se dos árbitros.

Para quando alguém com rosto a vir fazer esse trabalho? Quando voltaremos a ser o que éramos? É para ficar tudo na mesma que irão ser reconduzidos?

ACORDA PORTO!

Benfiquização

Ao contrário de muitos eu não me tornei portista por influência do meu pai. Bem pelo contrário. Ele é adepto do Benfica, embora durante algum tempo me tenha convencido que era adepto do Boavista (clube do qual ele é realmente simpatizante), e só quando comecei a vibrar com as vitórias do Porto, principalmente contra o clube das papoilas é que comecei a ver que ele não achava piada nenhuma.

Fosse ele daqueles pais que “obrigam” os filhos a serem do clube deles, e tal era a influência que ele tinha sobre mim (ou não fosse meu pai e eu adorá-lo), muito provavelmente teria ido por maus caminhos.

Portanto, e felizmente, acabei por me tornar portista graças a um misto de influências, como são, os colegas de escola / meu avô (portista doente) / facto de ser o clube que vencedor na altura.

Por esse facto, passei a minha infância a ouvir o meu pai em defesa da sua dama, a dizer coisas, tais como: “O Benfica já foi campeão europeu duas vezes, para vocês terem tantos títulos como nós, têm de ganhar sempre até 2000 e qualquer coisa, nós já fizemos isto e já fizemos aquilo, etc, etc, etc.”

No entanto, passados estes anos (tenho 40) já vi o meu clube a ser campeão europeu duas vezes (e uma delas num formato bem mais difícil de vencer que as de antigamente), a vencer a Taça Uefa, a Liga Europa, a Supertaça Europeia, a ser Campeão do Mundo duas vezes e a cereja no topo do bolo foi, quando em 2011 ultrapassamos o total de títulos conquistados pelo nosso rival (que entretanto já nos voltou a ultrapassar).

Serve isto para dizer que tive a felicidade de assistir a tudo isto ao vivo e a cores, coisa que qualquer adepto do outro clube, que seja da minha geração, não teve a oportunidade de assistir.

Toda esta minha introdução serve para comentar um fenómeno que tenho assistido de nossa parte nas redes sociais:

A BENFIQUIZAÇÃO!

Ele é um partilhar os campeonatos ganhos após o 25 de abril, ele é o partilhar que temos mais títulos internacionais que os outros todos juntos, é um partilhar de vídeos carregados de moral para os nossos adeptos, etc, etc, etc.

Estamos cada vez mais agarrados ao passado e isso preocupa-me. Começamos a não ter nada a que nos agarrarmos e isso leva-nos a fazer como os outros o fizeram anteriormente, a recorrerem do passado.

Eu não me quero benfiquizar. Não quero viver de memórias (que a grande maioria deles nem era nascido), não quero ver as nossas glórias só a passar no canal história.

Quero o regresso aos títulos, o regresso ao clube regional (sim, somos um clube regional e temos um orgulho imenso nisso), porque isso é que é o nosso ADN.

Nós não jogamos finais para desfrutar, jogamos para ganhar. Nós não festejamos derrotas como se de grandes vitórias se tratassem. Nós ficamos lixados com F bem maiúsculo quando perdemos, seja contra o Tondela, seja contra o Bayern Munique. Nós somos assim. Nós não temos de viver do passado. Nós temos de conquistar o presente, e acima de tudo o futuro.

Não temos de andar a viver de memórias, temos é de viver de conquistas. Vamos mostrar a quem dirige o nosso clube que é isso que queremos. Vamos mostrar aos nossos jogadores que têm de comer a relva se necessário for, e que se relaxarem terão se sofrer as respetivas consequências.

Como? Dia 17 temos uma oportunidade de ouro e em relação aos jogadores temos o que resta do campeonato para que eles sintam o que é representar o FC Porto. Temos de voltar a ter a nossa principal claque isenta e livre de se manifestar deixando de vez as amarras da Direção, ou todo e qualquer jogo de interesses que possa existir.

Eu acredito que isso é possível. Benfiquizar é que nunca!

Bem pregas Frei Tomás

Depois da entrevista dada pelo nosso presidente na passada semana ao Porto Canal, onde deu a entender que terá soltado o grito de Ipiranga no balneário, após o jogo contra o Tondela no Dragão e que afirmou que, estes seis jogos que faltam(vam) até ao final do campeonato iriam servir para ver quem serviria ou não para o FC Porto da próxima época.

Pois bem, se foi pela amostra de ontem, poucos ficarão, treinador incluído. Embora se tenha visto algo mais que contra o Tondela, o que se viu foi na mesma muito pouco.

É certo que também esteve presente o já tradicional penalti por assinalar, mas isso não incomoda o nosso presidente, já que se recusa a falar nisso em qualquer situação, e em consequência desse silêncio ensurdecedor, já ninguém nos respeita.

Mas à parte isso, e centrando-me na nossa equipa, o que vejo é que com exceção de 4 ou 5 jogadores, todos os outros nada fizeram para merecer vestir a camisola do FC Porto. Mas não foram só os jogadores que estiveram mal. Peseiro que eu ainda não tinha conseguido culpar por esta espiral de maus resultados, ontem falhou em toda a linha. Depois das palavras de Pinto da Costa, poderia e deveria ter aproveitado, e apostado em jovens da casa.

Para quê convocar André Silva, deixando Aboubakar de fora da convocatória se era para ele entrar apenas quando as coisas estavam más? O que temos a perder em apostar em jovens de qualidade em detrimento de jogadores estrangeiros, com muita vontade é certo (Suk), mas com pouca ou nenhuma qualidade para fazer parte do nosso clube?

Que sentido fez substituir Layún por José Angel? A perder e troca de laterais esquerdos? Layún esteve mal, muito mal aliás (o golo do adversário nasce de uma imbecilidade sua), mas mesmo assim, se o objetivo é vencer não se pode trocar simplesmente de defesa.

Em suma, espera-nos uma longa e penosa caminhada até final do campeonato, onde depois do que vi ontem, não acredito que algo mude na mentalidade dos jogadores.

É caso para dizer: “Bem prega frei Tomás, faz o que ele diz e não o que ele faz”.

Agridoce!

Ontem estive a ver a entrevista do nosso Presidente com a atenção possível, já que como sou cliente da NOS, só deu para ver pela internet.

Do que ouvi, fiquei com um sabor agridoce.

Começando pelo de positivo, posso dizer que gostei de ouvir que Josué, Rafa e Otávio irão integrar o plantel da próxima época. É bom saber que (a acreditar nas palavras de Pinto da Costa) se irá inverter este ciclo de aposta de jogadores “de fora”, sem a mínima identificação com o clube e que se irá apostar em jogadores com o nosso ADN.

Gostei também de ouvir que FINALMENTE existiu um murro na mesa e que as primas donnas dos jogadores foram abanados. Será um regresso aos tempos áureos? Espero sinceramente que sim.

Também gostei de ouvir finalmente alguma coisa do programa para o novo mandato. Partindo do principio que o que disse corresponderá à verdade, a aposta na formação é para mim uma grande notícia.

De negativo, ainda e sempre a questão das comissões. Ao ouvir o Presidente falar nisso, fiquei feliz por estar de óculos na cara, tal foi a quantidade de areia que foi atirada para os olhos.

Não justificou nada. Contornou a questão da renovação de Rúben Neves. Não explicou as ligações com o filho. O que disse e nada acerca do assunto foi exatamente a mesma coisa.

Todos sabemos que em todas as contratações existem e existirão comissões. Nenhum adepto questiona isso. O que se questiona são as voltas que dão quase todas as contratações e o quanto e a quantas pessoas dão a ganhar dinheiro.

De negativo também, o continuar na culpabilização de Lopetegui. Não entendo, sinceramente não entendo. Se ele era assim tão mau, porque é que ficou esta época? Porque não foi substituído logo, evitando assim todo este descalabro? E será que o espanhol é o culpado de tudo? Não creio. Teve a sua culpa é certo, mas também foi ele o único a lutar pelos nossos interesses contra o colinho vergonhoso da última época.

Quanto à continuidade ou não de José Peseiro, fiquei com a nítida sensação que não é muito certa. Se não vencer a Taça de Portugal, não acredito que fique, e mesmo que a vença tenho as minhas dúvidas, embora nessa situação e conhecendo o Presidente como se conhece, talvez opte pela sua continuidade.

Em suma, fiquei com alguma esperança no futuro, até porque vi alguma vontade de tentar sair por uma porta maior do que aquela que sairia se fosse agora, mas também pode não ser mais que campanha eleitoral para não ter uma votação vergonhosa no próximo dia 17 de abril.

A ver vamos. Espero sinceramente engolir todas as palavras que tenho escrito e que regressemos rapidamente às vitórias.

Seria daqueles sapos que não me custava nada degustar.

Adiantará de algo?

comissões

Foram estas as tarjas colocadas em frente à casa de Pinto da Costa.

Hoje ele irá falar no Porto Canal. Terá servido de alguma coisa esta manifestação de desagrado por parte dos adeptos?

Oxalá que sim.

Coerências!

Ora então segundo os adeptos de um certo clube que ontem jogou na Alemanha este lance é para grande penalidade:

Concordo. Para mim também é. Mas e este? Sempre os ouvi a dizer que não.

Acho este tipo de coerência fantástica.

Como se costuma dizer: “- Pimenta no cu dos outros é mel para nós”

 

A vergonha – Parte III

Esta derrota contra o todo poderoso Tondela está a ser muito difícil de digerir.

Não consigo entender tamanha falta de profissionalismo dos jogadores que estiveram em campo.

Não consigo perceber como é possível não fazerem um único golo a uma equipa que tinha sofrido golos em TODOS os jogos que tinha efetuado fora de casa.

Mas pior que isto tudo, não consigo perceber porque é que Pinto da Costa ou alguém da SAD não terem dado a cara.

O Presidente agora só fala nas vitórias e nada mais. Será que não sente a contestação e consternação dos adeptos? Será que está de tal forma agarrado ao lugar que prefere sair pela porta mais pequena, ao invés de descer do seu pedestal e ter uma palavra de esperança para os sócios e simpatizantes?

E o que dizer da não apresentação do programa para este próximo mandato? Quais as perspetivas? Quais os objetivos? O treinador fica? É com este treinador que pretende regressar aos títulos? Vai finalmente apostar na prata da casa ou continuar a ir buscar jogadores que não estão nem aí para o passado e história do FC Porto?

Nenhuma pessoa, no seu perfeito juízo poderá votar a favor de algo que desconhece. Vai-se manter tudo como está, daí a não apresentação do programa? Que sócio na plenitude das suas capacidades mentais votará numa equipa que neste mandato que agora finda nada ganhou?

Temo que a vergonha que passamos na última segunda feira será apenas uma de muitas num futuro próximo, a menos que os sócios acordem e façam acordar o Presidente adormecido.

A vergonha – Parte II

Não sou particularmente fã de Manuel Serrão, nem assisto a nenhum programa de paineleiros por uma questão de principio, mas fizeram-me chegar o vídeo que abaixo reproduzo, por mail, e que após visioná-lo, decidi partilhá-lo aqui, já que concordo em absoluto com tudo o que foi dito.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

nonagésimo segundo minuto

blogue de um portista indefectível exclusivamente para dragões dos quatro costados

Imbicto Poema

De Imbicto Portista para Portista Imbicto, um tribunal de reflexão e debate universal sobre o FC Porto

pedalo pela cidade

... mas também caminho por montes e vales!!!

+ EDUCação

Jornal da Educação de Valongo

O Mundo de Alice

um passeio pela vida e pelo mundo

Aventar

Expor ao vento. Arejar. Segurar pelas ventas. Farejar, pressentir, suspeitar. Chegar.

Porta 19

CURIOSO. CRÍTICO. PARVO. BARRIGUDO. CARECA. ADEPTO. SÓCIO. PORTISTA.

BiTri

Prognósticos só no final do jogo