E a partir de hoje temos treinador. Depois do falhanço que foi a contratação de José Peseiro (porventura até o menos culpado em todo o processo) urgia contratar alguém que tivesse alguma afinidade com o futebol português e o FC Porto em particular para encarar com o otimismo possível a próxima época.

Nos últimos dias não se fala de outra coisa entre os adeptos portistas. Cada um com a sua escolha pessoal. Havia para todos os gostos, desde Jorge Jesus a Marco Silva, passando por Vilas Boas, Rui Faria, Vítor Pereira, etc, etc, etc.

Confesso que Nuno não estava como minha primeira escolha, mas não me desagrada de todo, nem tinha como desagradar.

Nuno foi um exemplo dentro do balneário enquanto nosso jogador, um líder silencioso é certo, mas um líder que era respeitado por todos.

A expressão “Somos Porto” começou na boca dele.

Prefiro-o a ele a outros que não se identificam nada com o nosso clube e que até noutros tempos mostraram alguns gestos inadequados para connosco.

Prefiro-o a ele a treinadores que por cá passaram e até ganharam, mas onde a qualidade do futebol praticado era medonha.

Vai ser bem sucedido? Não sei. Ninguém sabe. O que sei é que parte do sucesso não dependerá dele.

Vai depender muito das “armas” que lhe derem. E por “armas” quero dizer, plantel, estrutura, condições de trabalho.

Ao ir buscar “um dos nossos” espero que seja um voltar a um passado não muito distante, onde reinávamos a nosso belo prazer fruto de uma estrutura sólida como uma rocha, a planteis construídos com cabeça, tronco e membros e a uma união inabalável entre todos.

Para voltarmos a triunfar a SAD não pode fazer ao Nuno o que se fez com Lopetegui e Peseiro, ou seja, deixá-lo a pregar sozinho contra as injustiças. É preciso que deixemos de ser “comidos por lorpas”. Para voltarmos a Ser Porto não podemos continuar calados

Espero deixar de ver jogadores a aterrarem cá e a dizerem que querem sair. Espero ver garra e paixão em campo. Estou farto de primas donnas. Quero guerreiros. Foi assim que construímos o nosso ADN e é assim que voltaremos a triunfar.

Por tudo isto, sê bem regressado Nuno Espírito Santo. Que sejas tão feliz aqui como treinador, como foste como jogador. Desejo-te todo o sucesso do mundo. A partir de agora és o meu treinador.

Anúncios