Que relação terá o Hotel Pueblo Camino Real em Espanha com Moreira de Cónegos e Canelas?

Aparentemente nenhuma, mas pelos vistos é mais fácil expulsar 1 000 estudantes dessa unidade hoteleira do que um jogador do Benfica.

A frase não é minha, apanhei-a algures na internet, mas ilustra bem o estado a que se chegou na arbitragem em Portugal.

Depois de no passado sábado terem sido precisos três lances para grande penalidade para o homem do apito ter apitado um, ontem o escândalo ainda foi maior. Depois de Luisão ainda na primeira parte ter visto “perdoado” um vermelho direto (gif do lance no final do post) fruto da entrada violenta que teve para com um jogador do Moreirense, o impensável aconteceu quando Samaris agrediu com um soco no estômago um jogador adversário.

Que o árbitro não tenha visto até aceito, porque estava de costas para o lance. Agora nem fiscal de linha, nem quarto árbitro? Não me contem histórias por favor.

A semana passada um energúmeno agride um árbitro num jogo dos distritais e foi “linchado” publicamente. E agora? Como vai ser? Vão fazer ao grego o mesmo que fizeram ao jogador do Canelas?

Foi mais violento o caso da semana passada? Sim, é verdade. Mas não deixou de ter sido uma agressão. Estou curioso para ver o que a justiça desportiva irá fazer.

A comunicação social irá com toda a certeza “suavizar” a coisa, como é apanágio sempre que algo de mau se passa com o clube do regime, mas o Conselho de Disciplina da Liga terá de atuar.

No meio disto tudo o clube que lidera o campeonato, lá volta a vencer com ajudas extras e nós lá vamos continuando na luta apesar de todas estas vicissitudes.

Esta época para conseguirmos os nossos objetivos vamos ter de ser muito superiores aos outros, porque a nós não nos oferecem nada. A nós não nos “desencravam” partidas quando estão complicadas. A nós não têm qualquer tipo de problema de nos prejudicar.

Por tudo isto, tenho a perfeita noção que será uma tarefe hercúlea lutar pelo título, mas como já tenho dito anteriormente, quando vejo a garra que vejo dos nossos jogadores dentro de campo, faz-me acreditar que poderemos lá chegar.

E caso não cheguemos não será certamente por culpa deles.

PS: Para memória futura:

 

 

Anúncios