Este fim de semana dois acontecimentos marcaram (mancharam) de forma lamentável tudo aquilo que andamos a apregoar semana após semana, dia após dia.

Em primeiro lugar o bloqueio que fizeram a uma das claques do clube, impedindo-a de expressar o seu repúdio pelo que tem acontecido nos últimos anos na estrutura do nosso clube.

Ora um clube que andou este tempo todo a lutar contra um regime que nos tem empurrado para baixo, e que até apelidou esta Liga de “Liga Salazar”, não pode mandar um assalariado qualquer impedir um grupo de pessoas que não precisa de ser bem remunerada pelo clube para expressar o seu amor ao mesmo, de poder livremente manifestar-se contra o que de mau vem acontecendo ano após ano.

Porque se é verdade que fomos muito prejudicados pelas arbitragens ao longo desta época, também não deixa de ser verdade que se torna difícil de explicar como é que um clube que supostamente começou a pré época em abril do ano passado não se tenha preparado devidamente para a mesma.

Outro facto que me desagradou imenso foi o discurso do nosso treinador.

Como é possível andarmos este tempo todo a falar de um polvo, a apresentar provas concretas de um esquema que está montado para favorecer um determinado clube e agora vir o nosso treinador dar os parabéns a esse mesmo clube pela conquista do campeonato?

Foi bem revelador da desorganização que grassa no nosso clube. Não me lembro até há poucos anos atrás isto ser possível.

Se o nosso treinador não está alinhado com o clube  e dá os parabéns a uma vitória conquistada de forma suja, com uma impunidade total, não está cá a fazer nada.

Felicitar esta conquista é dizer que o crime compensa e que apesar de tudo somos subservientes com isso.

Bater com a mão no peito e dizer Somos Porto não basta. É preciso sentir o que se diz. Será que se esqueceu quantos jogos fomos “roubados” ao longo da época? Será que se esqueceu da forma como somos tratados pela comunicação social? Será que se esqueceu da forma como Brahimi foi expulso em Braga? Será que não lhe ocorreu que só agora que o campeonato estava “oferecido” é que tivemos um árbitro a assinalar grandes penalidades a nosso favor?

Por muita estima que tenha pelo nosso treinador, comigo ele não ficava nem mais um dia ao leme do nosso plantel.

Para a semana termina o campeonato, num dia em que há dez anos atrás vencemos o D. Aves por 4-1 e conquistamos o campeonato.

Lembro-me bem desse dia porque infelizmente foi quando faleceu uma das pessoas mais queridas para mim (o meu avô). Um grande portista, talvez um dos maiores que conheci e que no dia anterior à sua morte tinha pedido ao filho para lhe levar uma camisola do FC Porto para festejar o título no dia seguinte.

Não o chegou a fazer porque faleceu horas antes do inicio do jogo, mas se ele fosse vivo nesta altura nem reconheceria o clube atualmente.

E só passaram dez anos….

Anúncios