Os últimos anos não têm sido fáceis para os nossos lados.

Quatro anos sem títulos, perda de poder financeiro, dirigentes mais preocupados com comissões do que em triunfar, péssimas escolhas de treinadores, jogadores, etc, etc, etc.

Aliado a isto temos uma comunicação social agreste, que chega ao displante de camuflar assassinatos earguidos em casos do BPN por exemplo , mas que quando cantamos algo mais ofensivo, ou quando se passa algo em que, ainda que de uma forma indireta, nos implique se torna minuciosa e explora tudo até à exaustão.

E depois, a cereja no topo do bolo. Fomos roubados da primeira até à última jornada quase sem esboçar uma reação a sério.

As coisas andam a ser feitas de tal forma às claras que até tiveram a lata de castigar um jogador do clube da treta depois do campeonato terminar por causa de uma agressão que esse jogador cometeu.

Ao ver isto tudo, fico a pensar quando é que o nosso Presidente, aquele que não teve medo de uma “bomba”, aquele que sempre se ergueu contra o poder instituído, aquele que dava entrevistas em canais abertos, falará.

Quando é que regressará do mundo dos mortos para reassumir o seu lugar?

Não é só com programas no canal do  nosso clube a desmascarar o “polvo”. Embora reconheça que são importantes estes programas, se não houver o devido acompanhamento por parte de quem lidera o clube tornar-se-ão inoquos.

Por tudo isto fico à espera da ressurreição do nosso Presidente de modo a que possamos voltar a ser o que éramos.

Já sinto saudades.

Anúncios