A menos de 72h do fecho do mercado e correndo o risco de me enganar redondamente, vou fazer uma curta reflexão de como foi o nosso clube neste mercado de transferências.

Depois de uma época em que Sérgio Conceição conseguiu o milagre de ser campeão sem lhe terem sido dadas grandes “armas” (entenda-se, jogadores) esperava-se que este ano as coisas seriam diferentes até porque, com a conquista do título sabíamos à partida que cerca de 46 milhões de euros de prémio de presença na champions estavam garantidos.

Além dessa verba, também faturamos com várias vendas (Ricardo Pereira e Dalot, por exemplo).

Com tudo isso, e até porque o nosso treinador merecia uma aposta mais forte, achava eu que a nossa SAD iria ter a honestidade de lhe garantir condições para lutar pelo Bicampeonato.

Puro engano. Começamos com a compra de um defesa direito (João Pedro) que já foi promissor, mas que neste momento passa por uma fase de muito pouco fulgor. De todas as formas, e pelo seu passado nas camadas jovens brasileiras dei o beneficio da dúvida, pelo menos até o ver chegar ao Porto.

Quando vi as primeiras fotografias dele aqui no nosso burgo até pensei que o Walter tinha regressado ao Porto. Como é possível um profissional de futebol, ainda de tenra idade apresentar-se naquelas condições?

Depois, bem depois foram as hilariantes contratações de Ewerton e Janko. Ewerton que era suplente de Galeno (nosso jogador) no Portimonense e Janko, um suiço que não jogava em lado nenhum.

Também tivemos as novelas de Mbemba, que demorou mais de um mês para ser contratado e do brasileiro Roger Guedes, que de tanto tempo demorarmos perdemos a possibilidade de contratar um jogador que podia fazer a diferença no nosso clube.

No meio disto tudo conseguimos contratar, aquele que talvez seja o único jogador (pelo menos em teoria) com capacidade para fazer a diferença no FC Porto. Falo de Militão. Mas mesmo esse tivemos que aceitar, já depois de o termos garantido, que ele ainda realizasse 4 jogos pelo seu clube, correndo o risco de se lesionar e criar-nos uma enorme dor de cabeça.

Após essa contratação temos uma mão cheia de nada, a última das quais a pérola Zacarya, defesa esquerdo do Belenenses. Mais um jogador que ainda permitimos fazer um último jogo pelo seu suposto anterior clube. E o que aconteceu? Lesionou-se!!!!!

Claro que não foi por isso que a contratação falhou. Supostamente o jogador tem um problema ligamentar que o fez reprovar nos exames médicos, mas o que aqui está em causa é a falta de capacidade para sermos uma voz forte nas negociações com outros clubes.

Resumindo, continuamos sem alternativa a Alex Telles na esquerda, sem alternativa a Brahimi, sem alternativa para extremo direito (Otávio não é nem nunca será um extremo) e com um bom naipe de avançados, mas sem um único Ponta de Lança.

Por falar em avançados, quero aqui salientar uma coisa. Até vejo alguma qualidade em André Pereira, acho que é um jogador interessante para clubes do meio da tabela, mas para titular do FC Porto nunca. Também sei que o Rui Pedro teve as suas falhas, mas mesmo assim é de longe, na minha opinião, muito mais jogador que André Pereira.

Rui Pedro falhou? E quantos não falharam ao longo dos anos? E Marega? O que fez? No Porto antigo, o maliano estaria a treinar com a B ou sozinho e nunca mais jogava. Obrigaram Sérgio Conceição a engolir (mais um) um sapo e depois querem que ele ande motivado como na época anterior?

Ou será que o Rui Pedro deixou de ser opção porque mudou de empresário (deixou de ser agenciado por Alexandre Pinto da Costa)?

Já agora, sabem quem é o empresário de André Pereira? Pois é, chama-se Alexandre Pinto da Costa. Aquele que há uns anos atrás festejou um título das toupeiras.

Tantas e tantas falhas da nossa SAD que me fazem temer o pior para os próximos anos. Porque é que não damos condições de trabalho ao Sérgio Conceição?

Porque ainda não renovamos com Brahimi e Herrera? Vão ser os próximos Marcano e Reyes? Vão sair a custo zero?

O que é feito dos milhões das vendas dos últimos anos? Como é possível termos estado sob a alçada do fair play financeiro? Como é possível termos tido um presidente como o do Portimonense a dizer que não ficamos com dois jogadores porque não temos dinheiro para os pagar? Como é possível depois dessas palavras não ter havido uma reação enérgica contra essa mesma pessoa? Será que o que foi dito é verdade?

O que sei é que temos uma SAD podre, talvez com vícios muito perniciosos para as contas do nosso clube e que nos estão a levar (ou será que já estamos) à falência.

Anúncios