Olá Sérgio (permite que te trate por tu) como tens passado?

Eu com alguns altos e baixos cá ando. Mas não é para falar de coisas rotineiras que te escrevo.

Escrevo para te dar conta da minha preocupação com tudo o que se está a passar.

Quando há três épocas atrás foste oficializado como treinador do “nosso” FC Porto senti-me muito feliz.

Via em ti alguém com capacidade de liderança, alguém cuja personalidade sempre admirei e que, acima de tudo amava o clube tanto ou mais que eu.

Fui dos que sempre te defendeu quando diziam que eras um treinador conflituoso e que não irias durar muito por cá.

E que bem me soube aquela primeira época em que conseguiste ser campeão sem um único reforço. Conseguiste calar todos os críticos. Uniste a nação portista de um modo como há muito tempo não via.

Fizeste com que pela primeira vez a minha filha de nove anos (na altura) se tivesse entusiasmado com o futebol ao ponto de “exigir” ir festejar para a baixa naquele sábado.

Fizeste com que ela quisesse a camisola do Brahimi e se quisesse tornar sócia.

E nem sabes como isso me deixou feliz. Nunca fui a favor de “obrigarmos” os nossos filhos a serem aquilo que nós somos, mas vê-la a tomar esse caminho por livre e espontânea vontade deixou-me muito feliz.

Depois veio a segunda época que até começou muito bem, mas que aos poucos se foi “perdendo” com culpas próprias. Tuas incluídas.

Mas mesmo assim, nunca deixei de te apoiar. Eras intocável embora reconhecendo que eras um treinador teimoso que não abdicava nunca do seu modelo tático, mesmo quando o mesmo já se encontrava esgotado.

Veio então esta época e a minha opinião começou logo a mudar aquando do regresso de Marcano. Ora, um jogador que se recusou a renovar contrato pelo nosso clube e que saiu a custo zero, um jogador que por capricho do sorteio nos defrontou na última época pela Roma e na hora da sua substituição levou uma enorme salva de palmas e nem agradeceu esse tributo dos adeptos, voltava a vestir a nossa camisola? Onde anda o teu amor próprio Sérgio?

E qual não foi o meu espanto (e ainda hoje quero acreditar que tudo não passou de um boato) quando li que o Fábio Coentrão estava praticamente certo no nossso clube? Fiquei sem saber o que pensar. O Coentrão? Essa besta sem cérebro que sempre destilou ódio pelo nosso manto sagrado ia vestir de Dragão ao peito? Impensável para mim, e felizmente para a generalidade dos adeptos, pois estou em crer que foi essa revolta que impediu a sua contratação.

Começou a época e logo com uma pré eliminatória da Champions. A prova rainha do futebol ao nível de equipas. A competição onde todos querem estar e que, felizmente, nós estamos quase sempre.

Calhou-nos em sorte uma equipa mediana da Rússia. Conseguimos o mais difícil que foi vencer em casa deles. Depois veio o jogo no Dragão e aqueles primeiros 45’ para esquecer. Não foste o único culpado? Claro que não. A nossa SAD preparou tudo muito mal. O guarda redes chegou na véspera do primeiro jogo e Uribe nem conseguiu ser contratado a tempo.

Foi tudo feito muito em cima e graças a isso também não tenho dúvidas se deveu a nossa derrota em Barcelos na estreia do campeonato.

Mas depois veio um bom jogo contra o nosso principal rival e parecia que tudo se começava a encarreirar. Puro engano. Tirando esse jogo nunca mais conseguimos jogar bem esta época.

Sérgio, tens de ver que o teu modelo de jogo está esgotado. Que se calhar já não tens jogadores para o bate e corre. Se calhar devias mudar o sistema de jogo. Será que o 4-4-2 é o que melhor se encaixa? Não sei, nem tenho de o saber. O treinador és tu. Tu é que recebes principescamente para “pôr” o nosso FC Porto a jogar.

Depois tem outras coisas que não entendo. Já por mais de uma vez se viu que a nossa dupla de centrais é lenta (normal, temos dois jogadores no ocaso da carreira), e também já percebemos que temos qualidade no banco (Mbemba e Diogo Leite) que chega e sobra para substituir o espanhol.

Quantos mais erros defensivos ele terá de cometer para se apostar numa dessas duas opções?

E o que dizer de Corona a laterla direito. Corona foi só, para mim, o melhor extremo que tivemos a época passada. Faz uma falta tremenda lá na frente, além de que o Tecatito, não é nem nunca será um bom defesa.

Saravia jogou muito mal contra o Krasnodar? É verdade. Mas também é verdade que na época passada foi considerado o melhor lateral direito do campeonato argentino. Vais fazer-lhe a ele o que fizeste a época passada ao Jorge? Esse Jorge que agora é chamado à selecção Brasileira em detrimento de Alex Telles?

É que agora ainda é mais grave, porque se no lado esquerdo todos queremos o Alex lá, no lado direito ninguém quer o Corona. Todos o queremos sim, mas lá na frente.

Mas o problema é que se o metes na frente terás de tirar uma das tuas “vacas sagradas”. Zé Luís foi um pedido expresso teu (até telefonaste para um programa em direto para o dizer) e Marega, bem Marega contigo pode fazer o que quiser. Pode-se recusar a jogar uma final da Supertaça como o fez a época passada contra o Aves ou até se apresentar de barriguinha como o fez contra o Gil Vicente (onde até foi o causador de um dos golos do adversário).

E o que se passa com Danilo? O que ter-lhe-á acontecido para andar tão apagado e sem vontade de jogar? Será culpa dele? Tua? Não faço ideia, mas gostava de voltar a ver o velho Danilo de volta.

Muito, mas mesmo muito mais haveria para se dizer, mas já me estou a extender muito e não quero ser demasiado exaustivo.

Quero apenas e só que reflictas, que voltes ser um de nós, que não deixes que a chama se apague e, acima de tudo, que deixes a teimosia de lado.

Reconhecer que se está errado não é um ato de cobardia, é um ato de coragem, e corajoso eu tenho a certeza que és.

Despeço-me com toda a consideração que me mereces e desejando voltar a ver grandes jogos protagonizados pelo nosso clube.

PS: Sei que não és o principal culpado. Sei que o nosso clube está cheio de abutres que se anda a alimentar à custa do clube, mas para esses para já prefiro dar o meu desprezo, até porque ao contrário da estima que tenho ti, não tenho qualquer consideração por eles.